Microagulhamento estimula a produção de colágeno

O microagulhamento é um procedimento em que são feitas microperfurações na pele usando agulhas metálicas bem fininhas. Para isso, é usado um aparelho chamado dermaroller. Ao mesmo tempo em que perfura a pele, ele libera ativos específicos para tratar o seu problema. Como o produto entra em contato com o organismo por meio dessas perfurações, consegue penetrar camadas profundas da pele. Por isso o microagulhamento é tão eficiente.

Para quem o microagulhamento é indicado

O resultado mais importante do microagulhamento é o estímulo para a produção de colágeno. Por isso, o procedimento é muito procurado por quem quer prevenir e tratar os sinais de envelhecimento, como flacidez, marcas de expressão e rugas. Afinal, é o colágeno que dá sustentação e viço para a pele, evitando que esses problemas apareçam.

Como o microagulhamento também incentiva a produção de outras fibras naturais da pele, é recomendado para quem quer tratar cicatrizes (especialmente as de acne) e estrias. As fibras naturais preenchem a pele, “apagando” essas marcas.

Dependendo do ativo utilizado no procedimento, o microagulhamento ainda ajuda a eliminar manchas (inclusive o melasma) e a queda de cabelo. Nesse caso, as microperfurações são feitas no couro cabeludo e os ativos estimulam o crescimento dos fios ao mesmo tempo em que deixam os cabelos mais fortes.

Existe risco no microagulhamento?

O microagulhamento costuma ser indicado para quase todo mundo. Tanto que as contraindicações são bem específicas. A pele com acne muito ativa, com espinhas e cravos inflamados, não pode receber as microperfurações. Então, é recomendado tratar esse problema primeiro. Isso também vale para uma infecção por herpes labial.

Se você estiver tomando remédios anticoagulantes (heparina ou aspirina, por exemplo) ou tiver histórico de alergias a pomadas anestésicas locais, precisa conversar com o dermatologista e buscar alternativas para o problema que seria tratando com o microagulhamento.

Diabetes não controlada, diagnóstico de doença autoimune ou câncer de pele também impedem a realização do microagulhamento. Estar no meio de um tratamento por radioterapia ou quimioterapia também são impedimentos.

Mas não se preocupe! Existem diversos procedimentos estéticos que podem ajudar a resolver as mais variadas queixas de problemas de pele. Converse com um especialista!

Não faça microagulhamento em casa!

Como o microagulhamento causa pequenas lesões na pele, há sempre o risco de acontecer uma infecção. Por isso, jamais faça o procedimento em casa ou em lugares que não ofereçam boas condições de higiene.

Procure sempre um dermatologista para indicação e realização do microagulhamento. Fale com a gente e veja como o procedimento pode ajudar no seu caso.

Quer saber mais dicas e novidades em dermatologia? Tem aqui no blog!

Leave a reply