Melasma: o que é e como tratar

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), melasma é uma condição que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele. O problema é mais frequente em mulheres e está relacionada ao uso de anticoncepcionais, gravidez e, principalmente, exposição solar. Predisposição genética também influencia no surgimento do melasma.

Com o melasma se manifesta

Manchas escuras ou de tons de castanho começam a aparecer no rosto, principalmente nas maçãs, testa, nariz e buço (região acima do lábio superior). Isso pode acontecer também nos braços, pescoço e colo. As manchas têm formatos irregulares e bem definidos, sendo geralmente simétricas, ou seja, iguais nos dois lados.
O dermatologista é o profissional mais indicado para diagnosticar o melasma que, se não for tratado de forma adequada, pode sofrer piora. Proteção contra raios ultravioleta e luz visível é indispensável, mas o tratamento normalmente envolve um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que as manchas voltem.

Conheça os procedimentos mais indicados, de acordo com a SBD:

Proteção contra luz e raios solares
Esse é o ponto de partida de qualquer tratamento contra o melasma e envolve a aplicação de um filtro solar potente, físico e químico, com fator de proteção alto, nas regiões afetadas. Em especial, é importante procurar por filtros que tenham proteção contra os raios UVA e UVB. Essa superproteção ajuda a estabilizar os benefícios obtidos com outros procedimentos, além de evitar a piora do melasma.

Cremes com ação clareadora

São eles que ajudam na remoção das manchas. Os resultados demoram cerca de dois meses para começarem a aparecer, então, é um tratamento que exige dedicação e paciência. Mas vale dizer que não é algo que funciona com todo mundo e, aqui, também pode ser necessário associar um outro procedimento contra melasma. Além, é claro da fotoproteção.

Peelings, laser e luz intensa pulsada

Os peelings podem clarear as manchas de melasma de forma gradual e até mais rapidamente do que os cremes. Existem diversos tipos de peelings, alguns mais superficiais e outros que atingem camadas mais profundas da pele. O mesmo efeito se observa no uso da energia luminosa, que pode vir do laser ou da luz intensa pulsada. O dermatologista é quem vai indicar o método mais adequado para o seu caso.

Microagulhamento

Nesse procedimento, agulhas muito finas promovem lesões mínimas na pele. Ao mesmo tempo, por meio dessas lesões, substâncias que agem contra as manchas de melasma são aplicadas em camadas profundas, onde são potencialmente ativadas e têm uma atuação muito mais precisa. Também nesse caso é preciso conversar com o dermatologista para ter indicação personalizada.

Tem como prevenir!

A maior prevenção contra o melasma é a proteção solar. Esse cuidado deve ser realizado diariamente, mesmo que o dia esteja nublado ou chuvoso. Como as manchas do melasma aparecem também por causa da exposição à luz visível (como aquela emitida por lâmpadas e equipamentos eletrônicos), é importante cuidar da reaplicação do filtro solar durante todo o dia.
Os especialistas ainda recomendam que as pessoas com melasma tenham cuidado redobrado quando for se expor ao sol. O melhor é evitar ir à praia ou piscina, mas quando for, utilizar roupas, chapéus, bonés, óculos escuros, sombrinhas e guarda-sóis. Todo cuidado é bem-vindo!

Quer saber mais dicas e novidades em dermatologia? Tem aqui no blog!

Leave a reply