Depilação a laser

A eliminação dos pelos indesejados através da depilação a laser pode ser feita de forma rápida, confiável e eficaz em qualquer parte do corpo que apresente pelos, tais como buço, queixo, região entre as sobrancelhas, lateral da face, axilas, virilhas, orelhas, pés, braços, pescoço, seios, abdome, costas, pernas, coxas, tórax, linha alba (linha vertical no abdome, que passa pelo umbigo) e entre outros.

Guia do tratamento

A remoção completa e permanente dos pelos geralmente exige a realização de múltiplas sessões (em média de 6 a 8 sessões, sendo a sessão realizada mensalmente). Atualmente, surgiram aparelhos mais modernos que conseguem fazer todo o tratamento em até 3 sessões .
Lembre-se de que os pelos brancos e/ou muito claros e finos podem não ser atingidos pelo laser.
O grau e duração da redução dos pelos dependem de vários fatores como: coloração e espessura dos pelos, localização, cor da pele, alterações hormonais e bronzeamento da pele Em geral, os resultados tendem a ser melhores quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso for o pelo.

Sobre a remoção de pelos a laser

Não estar bronzeado antes do tratamento. Lembrar que, como o tratamento é longo, é recomendável evitar exposição solar excessiva, sempre utilizando bloqueadores solares (FPS 30 ou maior). O uso de autobronzeadores ou bronzeamento artificial também deve ser descontinuado nesse período.

Parar de depilar com cera ou arrancar os pelos com pinça entre 4 a 6 semanas antes do tratamento na área a ser tratada. A raspagem, o clareamento dos pelos e os cremes depilatórios são permitidos.

Avise se tiver herpes para que seja feito um tratamento profilático antes das sessões. Pacientes com vitiligo, líquen ou psoríase, podem notar lesões nas áreas tratadas com aplicação do laser.

Quelóide ou cicatriz hipertrófica não são contra-indicações absolutas ao tratamento, mas exigem um tratamento menos agressivo.
Quando em uso de isotretinoína oral (Roacutan), esperar 6 meses após o término do tratamento para iniciar as aplicações do laser.
As alterações hormonais não excluem a possibilidade de tratamento. Quando detectada alguma alteração hormonal que justifique a hipertricose (excesso de pelos), o laser pode ser iniciado, mesmo antes do tratamento hormonal para que se atinja o maior número de folículos possíveis. Entretanto, se a alteração não for controlada, ela pode comprometer os resultados em longo prazo.