Peeling é opção para tratar manchas na pele

Discromia é o nome usado em dermatologia para se referir a qualquer alteração na pigmentação, ou seja, as manchas na pele. As causas podem ser as mais variadas: exposição desprotegida aos raios solares, alterações hormonais, reações alérgicas, alterações genéticas, e até estresse. O rosto, braços, mãos, ombros, costas e pernas são os locais mais afetados pelas manchas na pele e o peeling é uma excelente opção para acabar com o problema!

O que é peeling?

Peeling é um descamação da pele, como uma esfoliação, mas em nível mais profundo, capaz de renovar todas as células. Existem dois tipos de peeling: o físico (que usa desde lixas e cremes abrasivos até laser) e o químico (que usa produtos específicos que destroem a camada superficial da pele).
E como o peeling age para tratar as manchas na pele? Fazendo essa renovação celular, o procedimento permite que cada célula se regenere sem sofrer as alterações que causaram as manchas. É como se fizesse uma limpeza, removendo tudo que está imperfeito na pele.

Conheça outras indicações

O peeling está entre os procedimento estéticos mais procurados em dermatologia. E não é à toa: sua utilização é muito ampla e contempla diversas indicações. Vamos conhecer algumas, além das manchas na pele:
• Fotoenvelhecimento: as manchas na pele também podem ser consequência da exposição desprotegida ao sol. Nesse caso, o peeling é indicado para pessoas em todas as faixas etárias e todos os tipos de pele;
• Cicatrizes superficiais causadas por acne, doenças de pele e aquelas que são consequência de cirurgias;
• Alterações na pigmentação: aqui a gente menciona as manchas na pele de forma mais específica, como o melasma (comum em mulheres por causa da flutuação hormonal) e as manchas que aparecem em decorrência de inflamações;
• Envelhecimento intrínseco: é aquele que vem com o tempo e não tem como evitar. Aqui, o peeling atua eliminar aquelas rugas mais finas e superficiais;
• Estrias antigas: são aquelas que já formam as manchas brancas na pele. Podem ser atenuadas com a renovação celular promovida pelo procedimento.

Vale saber!

Independentemente do tipo de peeling usado para tratar manchas na pele, a recuperação envolve evitar a exposição solar, aplicar filtro solar em qualquer situação (chuva, sol, dentro ou fora de casa) e promover uma hidratação intensiva da pele.
Lembrando que quem vai recomendar o melhor tipo de peeling para o seu caso é o dermatologista, que também vai passar orientações específicas para a sua recuperação. Elas devem ser seguidas à risca. Do contrário, o problema de manchas na pele pode se intensificar.

Quer saber mais dicas e novidades em dermatologia? Tem aqui no blog!

Leave a reply